Tatuagens: significado no mundo do crime

Tatuagens: significado no mundo do crime

COMPARTILHAR
Capitão Alden (PM/BA): sua cartilha identifica o significado de mais de 40 tatuagens diferentes

Desde que o STF decidiu que é inconstitucional discriminar candidatos com tatuagens em concursos públicos, muitos tem reafirmado que tal prática é apenas a manifestação de uma opinião, expressa e marcada no próprio corpo. Outros reafirmam a luta contra o estigma que o tatuado carrega de tempos outrora: seres marginais à sociedade.

Mas nada altera o fato de que foi no submundo que a tatuagem ganhou significado; foi onde se tornou uma espécie de código visual silencioso entre criminosos e degenerados. E ainda hoje, esta é uma realidade latente.

Por isso é que o então Tenente ALDEN (hoje, Capitão) da Polícia Militar do estado da Bahia (PM/BA) debruçou-se sobre mais de 30 mil fotos/documentos em arquivos policiais (inquéritos, IML, etc), para pesquisar sobre os significados das tatuagens no submundo do crime, redigindo um estudo primoroso, que resultou numa Cartilha de extrema utilidade, no dia a dia dos policiais militares.

Foi nela que DIREITOFACIL.NET selecionou algumas das tatuagens mais comuns entre os que transitam pelo submundo do crime…

Coringa/Arlequina (Joker/Harley Queen)

O personagem da DC Comics, arquirrival do Batman, é uma das tatuagens que mais impõe respeito no submundo do crime. Também, pudera: segundo a cartilha, “a maioria dos portadores desta tatuagem possuem ligação com a prática de roubo e a possibilidade de envolvimento em morte de policiais“. 

Segundo o estudo, são pessoas extremamente perigosas, pois demonstram frieza e desprezo pela própria vida — quanto mais, pela vida alheia! Emulam a personalidade do personagem da HQ — insano, sarcástico, vida louca.

Já a Arlequina é, nos quadrinhos, a namorada do Coringa. Mas ao contrário das histórias de HQ, onde a personagem era uma conceituada médica psiquiatra, que ao tratar do Coringa, acabou corrompida mental e afetivamente por ele, no mundo real, as Arlequinas são garotas de baixa instrução, que ostentam sua condição de “mulher de bandido”, sem qualquer constrangimento, como forma de intimidar outras garotas em seu círculo social (escolas, bairro, etc).


Duende/Gnomo/Bruxo/Mago

Mais uma figura aparentemente inocente; e por isso mesmo, escolhido pelos criminosos para sinalizar que o portador é um traficante ou usuário de drogas.

Na vida prática, isso facilita o trabalho dos traficantes.

Serve para identificar, facilmente, que aquela pessoa que o aborda é um usuário — ou o inverso: para que o usuário identifique quem é o traficante, no meio de um grupo de pessoas, no denominado “fluxo/fervo” (aglomeração de pessoas em um espaço público).

O Bruxo ou Mago, por sua vez, representa aqueles que possuem uma certa ascendência — grau de “chefia” — no tráfico de rua.

 

 


Chuck, o boneco assassino

Deixando para trás as figuras pertencentes ao universo infantil, aqui temos uma indicação meio óbvia. 

No filme, um ladrão assassino (e por acaso, bruxo!!!), instantes antes de ser morto a tiros, transfere sua alma para um inocente boneco — que ganha vida e continua a perpetuar seus crimes.

Não por acaso, a tatuagem do Chuck entre os criminosos, serve para identificar homicidas e praticantes de roubo — ou seja, indivíduos que agem com violência.

Segundo a cartilha do PM Alden, pode indicar também a associação do preso à facção criminosa A.D.A – Amigos dos Amigos, com forte atuação no Rio de Janeiro e litoral nordestino.

 


A “Índia”

A representação de uma jovem mulher, com traços indígenas, pode indicar que o portador da tatuagem esteja associado a morte de policiais e prática de roubos/assaltos.

A “índia”, na verdade, representa a “deusa da beleza”, que na mitologia pagã, se utiliza de subterfúgios para atrair suas vítimas (cilada, sexo, traição) e oferecê-las ao anjo vingador, em troca de manter sua beleza e juventude eterna.

Muito utilizada por traficantes cariocas, que na hierarquia do crime, apontam os soldados do crime: ou seja, aqueles autorizados a portar e utilizar armas de grosso calibre (os fuzis).

 

 


Nossa Senhora Aparecida

O uso de figuras religiosas é comum no mundo do crime. Contudo, a imagem de Aparecida chama a atenção por possuir múltiplos significados, a depender da posição do corpo onde foi tatuada.

Se tatuada em tamanho pequeno, próximo ao peito, indica apenas uma crença de “proteção” do criminoso. Contudo, se tatuada na barriga, nos membros superiores (braço/antebraço/mãos) ou nos membros inferiores (batata da perna/coxa/pés) indica que o portador é um latrocida (praticou roubo seguido de morte).

Já quando apresenta tamanho grande, no meio das costas, indica que aquele portador já esteve preso por estupro ou atentado violento ao pudor; e no dia a dia da prisão, essa tatuagem facilita a sinalização para os demais presos, durante os banhos de sol, que aquele indivíduo pode ser abusado sexualmente, sem qualquer represália.


Integrantes do PCC

Segundo o PM Alden, seis tipos de tatuagens identificam que o portador é integrante do Primeiro Comando da Capital — facção criminosa que surgiu nos presídios de São Paulo, tendo se espalhado pelos estados do Sul, Centro-Oeste e Sudeste, bem como, para a região de fronteira (Paraguai, Bolívia):

  • a Carpa (peixe),
  • o Escorpião (animal, não o signo),
  • Yin Yang,
  • a Morte com um fuzil,
  • além das expressões 15 3 3 (referência à posição no alfabeto: 15 = P, 3 = C, 3 = C) e Paz/Justiça (o lema da facção).

 

Esperamos que tenham achado este post interessante e útil. Nós queremos preparar a 2ª parte — mas isso vai depender de vocês: curtam e compartilhem esta matéria em suas redes sociais!

 

Comments

comments

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta