SBT confirma denúncia: assédio moral gera suicídios no Banco do Brasil

O SBTMS, em brilhante matéria jornalística (assista a íntegra, ao final deste post), confirmou denúncia que havia sido repercutida por DIREITOFACIL.NET: as recentes ondas reestruturantes ocorridas no Banco do Brasil nos últimos 120 meses, tiveram consequências nefastas para os funcionários daquela instituição.

Na matéria publicada por DFN em março de 2017, com o título “Reestruturação do Banco do Brasil teria gerado onda de suicídios entre funcionários“, foi noticiado que “pelo menos 64 empregados teriam tirado a própria vida, nos últimos meses”.

Já a matéria do SBT foi além: apurou, com depoimentos de funcionários e ex-funcionários, a real extensão do problema. Segundo o repórter da TV, o Banco do Brasil, que “por décadas foi o sonho de carreira profissional de muitos brasileiros“, “se tornou o pesadelo deste bancário; em mais de uma década dedicada ao Banco, ele viu a própria vida e saúde definharem”.

Finalizando a introdução da matéria, o jornalista conclui: “O que poderia ser apenas cobrança por desempenho profissional dentro da instituição, se transforma em assédio moral“.

Em outro trecho mais adiante, a emissora de tevê também demonstra ter esbarrado na dificuldade de se obter tais informações junto ao Banco: “não existem dados oficiais, mas uma pesquisa rápida em um site de buscas, traz centenas de resultados de notícias e pesquisas sobre o temas; casos que aconteceram em diversas partes do território nacional, e que sempre trazem as pressões sofridas no ambiente de trabalho, com pano de fundo para o quadro de depressão que acomete o bancário“.

Um dos entrevistados, cuja identidade foi preservada pela reportagem, também confirma a dificuldade em se obter tais dados sobre os casos de depressão e suicídios entre bancários:

” — Há uma questão de subnotificação dos casos; não são todos os casos que são reportados (…) você olha para a história, você vê: quando teve uma reestruturação, logo em seguida aconteceu uma onda de pessoas se suicidando” (sic).

Prosseguindo na apuração dos fatos, o jornalista apresenta uma das poucas estatísticas sobre o tema:

De acordo com a organização chamada INTERSINDICAL, o número de suicídios entre bancários chega ser de 1 a cada 21 dias; só no Banco do Brasil, desde 2005 pra cá, foram pelo menos 64 casos registrados — e desde que entrou em vigor, o último plano de reestruturação do Banco, em novembro do ano passado, já foram pelo menos 4 (inclusive, do ex-superintendente do Banco do Brasil, aqui em Campo Grande, Emiliano Evaldo de Souza)“.

Como se vê, a matéria do SBT chegou ao mesmo número de suicídios que foi apurado por DireitoFacil.Net junto à uma fonte (auditoria interna): nos últimos meses (desde 2005).

Outro ponto constatado pela reportagem do SBT foi a leniência dos sindicalistas para com o Banco: os empregados ouvidos acusam o sindicato de se omitir na apuração dos casos e no efetivo combate ao assédio moral; instado a se pronunciar, o sindicato da região (filiado à Contraf CUT), resignou-se a emitir uma lacônica nota.

ASSISTA A ÍNTEGRA DA REPORTAGEM DO SBT:

Veja também esta outro vídeo produzido pelo canal “Bancários Jornalistas RN”

Use o Facebook para comentar e divulgar

Comentário

Redação DireitoFácil.NET

Redação DIREITOFACIL.NET

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: