Qual a 1ª coisa que lhe vem à mente ao ver esta foto?

Seja sincero(a): qual a primeira coisa que lhe vem à mente, quando vê a imagem acima? Apostamos que é: Pião da Casa Própria.

Senor Abravanel, como diz a história, era um impubere mascate na Rua do Ouvidor, lá no Rio de Janeiro. Vendia canetas e porta-títulos-de-eleitor. Certo dia, foi pego pelos fiscais; e teve seu destino selado.

O então fiscal achou que aquele moleque levava jeito para locutor de rádio — e incentivou-lhe a fazer alguns testes. E o resto é história!

A questão é que Silvio Santos, já radialista e empreendedor experiente, acabou trocando o Rio por São Paulo. E tornou-se amigo de Manoel da Nóbrega (sim: o pai de Carlos Alberto, o “herdeiro” da Praça). 

E foi assim que Senor acabou “ganhando” de Manoel, uma empresa quebrada: o tal Baú da Felicidade. E como Silvio conseguiu transformar uma massa falida em uma potência? Isso é assunto para um livro! 
A questão é que um dos meios de “vender mais carnês”, foi justamente aliar “entretenimento” com “comercial”. E eis que Silvio se dá contas de que fazer programas de TV, era a melhor forma de alavancar seus negócios empresariais.

Então foi isso: Silvio, na verdade, começou como um grande “propagandista” (igual aquele pessoal que aparece na Sônia Abrão, vendendo Omega 3, Cogumelo do Sol entre outras coisas). E acabou se transformado num mito!

Pião da Casa Própria

Num país com déficit habitacional, como poderia dar errado, a estratégia de sortear “uma casa própria por semana”? Não tinha como!

E foi assim que o Silvio Santos lançou o “Festival da Casa Própria”: aqueles que compravam seus carnês, ganhavam cupons para participar de.sorteios. 

Uma vez sorteado — calma, ainda não ganhou a casa — ia ao programa participar de um jogo, concorrendo com outros participantes sorteados. A sorte é que decidiria quem ganharia a sonhada casa própria!

E foi assim que surgiu o “pião da casa própria”. 

O tema 

E certamente, a primeira coisa que lhe vem à mente, qual é? A musiquinha do pião!


Trata-se, na verdade, de uma canção clássica bem conhecida e executada: Holliday for Strings (numa tradução literal, “feriado para cordas”; algo como, “festa para violinos). 

Contudo, o que imortalizou essa canção no imaginário popular brasileiro, foi justamente a introdução criada por Henry Jerome: violinos “nervosos”, em stacatto. 

O “foim foim” virou sinônimo de “pião da casa própria”. E ajudou a transformar cenas constrangedoras (como o rodopiar do então desconhecido Pastor Marcos Feliciano, ou da já consagrada Letícia Spiller) em memes inesquecíveis!

Use o Facebook para comentar e divulgar

Comentário

Teamajormar Almeida

Advogado. Pós-graduado em Direito e Processo do Trabalho.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: