Impostos Indiretos é o maior desafio para as empresas no Brasil, aponta Thomson Reuters

Durante o evento global Synergy 2016, foi feito pela Thomson Reuters uma pesquisa junto a 39 gestores tributários de organizações, e a imensa maioria deles apontou que, dentre as maiores dificuldades que encontram, a que mais preocupa é a gestão de impostos indiretos.

Isto porque, no Brasil, o volume de alterações de normas tributárias é avassalador, sendo que a maior parte delas diz respeito a impostos indiretos. Aliado a isto, é fato que as empresas, em sua imensa maioria, efetuam de forma manual os cálculos destes impostos, o que pode gerar equívocos na apuração de tributos a recolher e, consequentemente, mais custos (tanto operacionais quanto com multas e correções monetárias), o que afeta diretamente a competitividade das empresas.

Este problema poderia ser solucionado por meio da adoção de sistemas automatizados para calcular os tributos a recolher. Todavia, a área de TI, por sua vez, teria muita dificuldade em manter atualizada a sua base de dados, diante das constantes alterações das normas fiscais.

Em todo caso, o investimento em automação, segundo o estudo, ainda se mostra viável pois, mesmo que a atualização do sistema deva ser constante, o retorno – no sentido de permitir aos gestores da área fiscal que se dediquem mais tempo à definição de estratégias do que efetuando operações manualmente – é satisfatório.

Use o Facebook para comentar e divulgar

Comentário

%d blogueiros gostam disto: